segunda-feira, 7 de maio de 2012

A luta pelos patrimônios históricos



Paulo Ernesto faz uso da palavra




Rosana Simi, Sueli Rezende e Paulo Pereira observam atentamente a explanação



Membros da ONG Preserva Taubaté realizaram, na tarde desta segunda-feira, dia 7, uma apresentação na Câmara Municipal sobre a construção de prédios próximos aos bens considerados históricos. Hoje, a lei determina que, em um raio de 300 metros, nenhum prédio pode ser construído próximo a esses imóveis. A restrição visa preservar os patrimônios, já que os impactos da construção civil comprometem as estruturas desses prédios mais antigos. Mas, um projeto no Legislativo, que pode ser votado a qualquer momento, pretende diminuir a restrição para satisfazer interesses do mercado imobiliário. 

Recentemente, um secretário da Prefeitura de Taubaté - provavelmente a mando dos senhores da construção civil - esteve na Câmara Municipal para mostrar que os 300 metros congelaria o centro da cidade, o que, na argumentação palaciana, poderia brecar o desenvolvimento para Taubaté. Ledo engano. Um dos slides mostrados pela ONG comprovou que a restrição atinge uma parte mínima da cidade, como mostra a figura abaixo. Observe: a parte laranja representa a área urbana de Taubaté; a parte vermelha, o trecho onde estão os patrimônios históricos. A reportagem completa sobre isso você confere na próxima edição do Jornal CONTATO.



Um comentário:

Anônimo disse...

Qual exatamente a área de restrição?
Deveria ter um mapa mostrando detalhadamente a região atingida pela lei dos 300 metros.