segunda-feira, 23 de abril de 2012

Uma das heranças malditas de Peixoto 1

Tráfico assume o papel do Estado em Taubaté
               É o que conclui o Ministério Público diante da ausência do poder público nas áreas periféricas da terra de Lobato. Segundo um jornalão de São José, o secretário executivo da Promotoria Criminal, Paulo José de Palma, teria afirmado que traficantes estariam fornecendo amparo social, com cestas básicas e remédios, por exemplo, e até levando a população a consultas médicas. Os bairros mais críticos seriam os da parte baixa da cidade, como Esplanada Santa Terezinha, Parque São Luiz, Água Quente, além do Parque Três Marias.

5 comentários:

Anônimo disse...

Nós não temos uma herança maldita.Nós temos uma realidade maldita. A herança podemos abrir mão dela se quisermos.A realidade preocupante é vermos a policia militar encastelada dentro de suas viaturas passando por grupos fumando maconha na praça da av Italia, várias vezes,as 19 horas,e não tomarem nenhuma atitude mesmo que por dever de ofício.Preocupante é constatar que motociclistas de Taubaté aboliram a convenção do sinal vermelho,transformando o transito da cidade numa "roleta russa".Preocupante é ver os guardas municipais de trânsito sobre suas motos, voando pelas avenidas, sem obdecer nenhum sinal de "pare", transformando-se em verdadeiras balas perdidas.Preocupante é vermos vereadores inaugurando lombadas sobre semaforos porque os motoristas não obedessem sinal vermelho e eles acham normal punir todos a todos ao invés dos infratores.Nossa herança é a lamentação.

Anônimo disse...

A segurança pública não compete ao município e sim ao estado.

Anônimo disse...

CONTINUANDO: e o Estado é PSDB desde o seculo passado e o PT gosta da BANDIDAGEM,ESTAMOS FDDOS!!

Anônimo disse...

Se a violência compete ao estado, porque S.J dos Campos apresenta índices de mortes por violência, menos da metade de Taubaté? Ao menos, solicitar providências e medidas preventivas no âmbito municipal podem ser feitas. Quanto ao consumo de maconha, a omissão do estado é presente, pois assistindo jogo no Pacaembu, presenciei esse consumo aberto. Solicitei, através da ouvidoria da PM do estado de S.Paulo o porque dessa omissão. Isso em novembro de 2011 e até a presente data, 27 de abril de 2012, nem ao menos uma resposta obtive. Isso com mais 3 tentativas de saber o porque. O país, através de seu judiciário inoperante que não pune ninguém fica entronado em seus discursos metafóricos e sentenças com juridiquês onde essa impunidade é presente. Pobre Brasil.

Anônimo disse...

Essaslombadas junto aos semáforos é lamentável. Prova da incapacidade dos que dirigem o trânsito da cidade. Puna-se o infrator e não a todos.