quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Nacimos el 31 de diciembre



Deu no site do jornal O Estado de S.Paulo: "Durante décadas, funcionários públicos colombianos enganaram centenas de índios analfabetos da tribo Wayúu e lhes deram cédulas de identidade com nomes como “Ferrari”, “Xixi”, “Marilyn Monroe” e “Cabeção”. Tem também “Alka-Seltzer”, “Land Rover”, “Tarzã”, “Coito” e “Telefone”, além de “Palhaço” e “Gorila”. O caso pode parecer engraçado, mas não é. Trata-se de óbvia violação de um dos mais básicos direitos humanos. O nome da pessoa representa o aspecto imediato da identidade do indivíduo, é o modo pelo qual ele se faz representar ante a sociedade e, por outro lado, é a maneira pela qual esse mesmo indivíduo começa a formar uma ideia sobre si. O nome, em resumo, é o que singulariza a pessoa – é o direito de ser ela mesma. Não é por outra razão que, ao ser privado de liberdade, a primeira coisa que um prisioneiro perde é seu nome, trocado por um número. Sua existência como indivíduo é anulada, ficando à mercê dos algozes. O requinte de crueldade dos burocratas colombianos foi ter registrado todos os índios com data de nascimento em 31 de dezembro. Um documentário com o sugestivo título “Nascemos em 31 de dezembro”, que relata o drama da tribo, foi lançado recentemente na Colômbia".

2 comentários:

Anônimo disse...

Bernardo Ortiz se diz candidato e tenta levar regional da RM para Pinda

O ex-prefeito de Taubaté e atual diretor no governo do PSDB de Geraldo Alckmin, José Bernardo Ortiz, blefou quando disse nesta semana que concorrerá ao cargo de prefeito por Taubaté nas próximas eleições. Seu nome consta na listagem de políticos com ‘ficha suja’ e está impedido pela Justiça de concorrer tanto a prefeitura de Taubaté como em exercer qualquer atividade nos poderes públicos por 5 anos, além de ter seus direitos políticos suspensos pela 3ª Câmara de Direito Público de São Paulo.
Ortiz esteve com o governador em Pindamonhangaba no dia de Finados e alardeou junto a imprensa que sairia candidato ao executivo de Taubaté, criando uma nova polêmica na sociedade taubateana. A decisão dos magistrados do Tribunal de Justiça paulista foi ratificada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). Além de impedido, foi multado em quase R$ 300 mil por ‘improbidade administrativa’.
Atualmente, Ortiz é chefe da Fundação para Desenvolvimento da Educação de São Paulo e controla um orçamento de R$ 2,5 bilhões e diversas licitações para reformas e compra de equipamentos e produtos para escolas do estado. Pesa ainda contra ele o fato de ser um dos articuladores e principal ‘cabo eleitoral’ para tirar de Taubaté a condição de Sede regional da Região Metropolitana do Vale do Paraíba, levando-a para Pindamonhangaba, terra natal de Alckmin e comandada pelo PSDB.
Fontes ligadas ao governo paulista informaram que a intenção de Alckmin com a dificultar ao máximo a vinda de recursos para Taubaté, já que o filho e pré-candidato do PSDB local, Ortiz Júnior, não consegue decolar junto à preferência do eleitorado. Com isto, o governo paulista promete sanções contra a cidade e priorizar o envio de recursos para Pindamonhangaba e São José dos Campos, onde as administrações são ligadas ao seu partido.
Um grupo de advogados pretende apresentar um pedido formal ao judiciário e ao ministério público estadual e federal para que se cumpra a penalidade imposta na condenação do ex-prefeito e investigue se há indícios de favorecimento de municípios que sejam ligados ao PSDB e a pré-candidatos do partido às prefeituras paulistas. A ação ocorrerá nos próximos dias e também deve alcançar a esfera federal, além da estadual.

Anônimo disse...

Mas com aquele sotaque de carioca carregando nos SSSS e nos XXXX LOGO VI QUE NUNCA FOI TAUBATEANO E AGORA ESTÁ PROVADO A VERDADE !!!
XOU,XOU ORTIZES...