terça-feira, 25 de outubro de 2011

A pizza do príncipe

A Câmara Municipal decidiu não punir nem iniciar um processo por quebra de decoro parlamentar contra o vereador-príncipe de Taubaté, Rodson Lima (PP). As declarações do parlamentar chocaram a opinião pública e pautaram a mídia nacional. A "punição" imposta ao vereador foi o acerto de um pedido de desculpas na tribuna do Legislativo. Ou seja, ficará por isso mesmo o episódio que projetou negativamente o nome da terra de Lobato. Abaixo os principais trechos do comunicado divulgado pelo vereador na tarde de segunda-feira, dia 24:

A Escola Legislativa da Câmara Municipal de Taubaté não tem sequer um ano de existência e já materializou diversos projetos, inclusive de repercussão nacional, como é o caso do Caminho Antigo do Ouro.
Foi compartilhando desse sentimento de conquistas que refleti a respeito de minha origem humilde, como engraxate, vidraceiro e motorista de caminhão, e sobre minha trajetória até a vereança, levando o nome de uma cidade pujante.
Por quinze anos, represento o povo taubateano, que tem me honrado com seus votos. Votos de confiança na minha origem e nos meus modos simples.
Lamentavelmente, justo os meus modos simples pregaram-me uma peça. Sou neófito em internet e nas redes sociais, ambiente no qual os comentários viajam pelo mundo e se desprendem das intenções que lhes deram origem.
Foi justamente o que ocorreu. Ao tentar prestar meu reconhecimento ao povo que represento, as palavras ganharam outro significado e a partir daí não foi difícil aparecer quem se aproveitasse e desse as mais diversas interpretações. Interpretações deturpadas e frases pinçadas, divorciadas do seu contexto original.
Jamais foi a intenção deste vereador fazer comentários jocosos sobre o povo taubateano. Se a inabilidade com as palavras ensejou a dupla interpretação, peço desculpas pelo ocorrido. Que fique bem claro que amo e respeito o povo de Taubaté.
Mais uma vez, lamento pelo fato de que o incidente tenha tomado o lugar das conquistas da Escola Legislativa, tão festejadas no evento, o qual encerra um objetivo ambicioso: capacitar os vereadores a serem eleitos em 2012 em todo o Brasil. A meta é qualificar 59 mil vereadores. E a Câmara Municipal de Taubaté tem um papel de destaque nesse processo, pois é polo regional do Interlegis no Vale do Paraíba. À Mesa, ao Plenário e ao Povo de Taubaté, minhas sinceras desculpas.  

6 comentários:

dr. disse...

è muito simples ....SE EU CAIR CARREGO MAIS TREZE COMIGO, E PRONTO MAIS NADA SE FALOU E NEM PERGUNTOU...é o bom e velho rabo preso.

dr. Wellington disse...

A Casa de Tolerancia Taubateana se supera: Confraria de Cafagestes punem Principe com retirada de canal pornô do gabinete.
Emocionados com o discurso do Principe que colocou a seus pares que se caso houvesse punição para suas travessuras, seria necessário a punição a todos da casa de tolerância que os cafagestes fazem parte, assim sendo foi condenado a severa punição: Retirada do canal pornô do gabinete por 3 dias, trazendo sofrimento ao nobre Príncipe pois ficaria sem praticar seu esporte solitário.
Sim, parece piada. Mas é só a Camara de Vereadores e seu imenso teto de vidro. Jefferson matou a bola no peito e devolveu em grande estilo. Depois de cumprimentar os colegas de clube pela feliz iniciativa, jurou que se sentia “profundamente gratificado por ter dado satisfação aos cidadãos para o problema da impunidade”. Não, nenhum dos dois ficou maluco. É que a dupla está cansada de saber que, se o príncipe for punido de verdade e a Justiça fizer o que deve, a Casa de Tolerancia será fechada por falta de quórum.
Assaltos, bandidagens, bandalheiras, crimes, cambalachos, delinquências, delitos, embustes, furtos, fraudes, falcatruas, gatunagens, imposturas, ilegalidades, ladroagens, mutretas, maracutaias, negociatas, patifarias, pilantragens, roubos, safadezas, sem-vergonhices, tungas, trampas, trambiques, trampolinagens, vigarices, velhacarias, não faltam expressões que definem com muita precisão o que andam fazendo os associados da casa de tolerancia especializados em pontapés nas leis em geral e, em particular, no esvaziamento dos cofres publicos.Se um vereador diz ou escreve “RETRATAÇÃO” ao tratar de qualquer escândalo municipal, das duas, uma: ou é ladrão ou é sócio da roubalheira institucionalizada. Seja qual for a alternativa, é um caso de polícia

Mauro Taddeo disse...

Nossa ! Que português correto ! O vereador deve ser muito grato ao verdadeiro autor desta carta, quem sabe aprende um pouquinho que seja a escrever de forma correta. Desculpas as dispenso gostaria de sua renúncia. Mas como lhe falta coragem...

Anônimo disse...

Nâo nos interessa se o palhaço é neofito em Internet.O que nos interessa são os atos deste bocó como vereador. Hora é relator de uma CEI e vota contra seu próprio relatório.Outra hora põe para fora do recinto da Câmara, aos pescoções,um cidadão taubateano,tal qual se não fosse um vereador e sim um leão de chacara.O episódio em pauta somente vislumbra e aclara a criatura nefasta que ele é para a política taubateana.

Anônimo disse...

E o povo Ó !!!!!!

Me lembro do personagem do Jô " sois rei , sois rei , sois rei "

http://www.youtube.com/watch?v=DsjIBjGLpoM&feature=related

Anônimo disse...

Acho que foi infeliz a colocação, porém ao ler o post todo vi que realmente ele fala do agradecimento ao povo, do tel 24h, da ambulancia e etc, posso não concordar com isso, mas tnho que ser justa e não condenà-lo com tanta maldade. Ele errou sim, mas deram muitos mais repercussão ao fato do que o mesmo merecia. Paraece que a imprensa está sem pauta. Quanto a quem postou sobre a correção na escrita na carta, é claro que foi a assessoria dele que escreveu.