segunda-feira, 11 de abril de 2011

TSE (DF) enquadra TRE (SP) - primeira mão


O Tribunal Superior Eleitoral (TSE), de Brasília, manda de volta para o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de São Paulo, os processos eleitorais contra o prefeito Roberto Peixoto (PMDB) e que o TRE havia considerado nulo por causa de uma falha processual.



A falha processual foi não ter colocado a vice-prefeita Vera Saba (PT) no polo passivo, ou seja, ter incluído Vera como ré no mesmo processo e em tempo hábil. Essa falha fez com que os juízes do TRE desprezassem as provas materiais e os depoimentos que revelavam as falcatruas cometidas pela campanha de Peixoto nas eleições de 2008. Portanto, é mais uma prova que Peixoto NUNCA FOI ABSOLVIDO como ele cansou de mentir aos meios de comunicação subalternos e ou desinformados.



O ministro do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Arnaldo Versiani, decidiu que as ações judiciais que apuram crimes eleitorais cometidos por Roberto Peixoto (PMDB) na campanha de reeleição em 2008 devem sim ser julgadas pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de São Paulo. Traduzindo: os magistrados terão de analisar o mérito dos processos, istoé, analisar as provas coletadas pelo Juiz José Cláudio Abrahão Rosa, da primeira instância.




O Jornal OVALE publicou uma reportagem bem humorada, da edição de domingo, 10 de abril, afirmando que o prefeito viveria um suposto “inferno astral” por conta do seu aniversário, comemorado no dia 6 de abril. Mas parece que o inferno astral de Roberto Peixoto está só começando...




Já o Diário (oficial) de Taubaté, na edição do final de semana, publicou uma “reportagem” em que o presidente do PMDB de Taubaté, Jacir Cunha, empregado no gabinete do prefeito que lhe paga salário com o nosso dinheirinho, afirma que as “algumas denúncias já arquivadas e trazidas à tona novamente deixam claro que os oportunistas e derrotados políticos tentam, de todas as formas, prejudicar a população, o município, enfim, impedir o crescimento e a geração de emprego e renda, gerando dificuldades e não deixando o homem trabalhar”. Em outro trecho afirma: “Entendemos que essas pequenas manifestações decorrem apenas de perdedores, que querem renascer das cinzas, esquecendo os princípios da moral e da ética”. É mole?

2 comentários:

Anônimo disse...

Caro Sr Jacir Cunha, talvez sejamos realmentes perdedores. Perdedores de uma cidade com qualidade de vida, com higiene e limpeza. Perdedores de uma cidade que possuía segurança. Perdedores da dignidade de morar numa cidade que algum orgulho nos dava. Pode acreditar que as diversas manifestações públicas no site deste jornal e de muitos blogs e colunas, são a expressão de uma população indignada de ver o caos e a calamidade que se instauraram em nossa cidade. Pessoas que como eu hoje lamentam por morar em uma cidade como Taubaté, onde precisamos andar tensos na rua por falta de segurança. Onde precisamos conviver com mato e sujeira pelas ruas. Onde precisamos encher nossas casas de inseticidas e nos entupir de repelentes por incompetência do poder público em sequer limpar as áreas de sua incumbência, o que foi publicamente assumido pelo Secretário Municipal na última semana. Uma Taubaté onde precisamos temer escorpiões no Centro da cidade por pura falta de limpeza, de higiene. Uma Taubaté onde estamos perdendo nossas praças para bandidos, porque quem deveria cuidar delas, não cuida. Uma cidade onde a crise da coleta de lixo se instaurou há anos, e nada é feito para resolver. Uma cidade que vive vergonhosamente uma segunda e consecuitva epidemia de dengue. Uma cidade de ruas esburacadas e escuras. Uma Taubaté onde agora temos favelas, córregos assoreados e cheios de lixo e entulho. Uma cidade onde diariamente assistimos nos notíciários manifestações de indignação da população clamando por uma ação do poder público. Isso em todos os bairros, envolvendo todas as classes sociais, sem exceção. E onde as manifestações da Prefeitura municipal sempre diz não ter prazos para resolver os problemas e não possuir infra-estrutura. Uma cidade que vê diariamente absurdos administrativos, como por exemplo o disparate do custo de um carnaval em uma cidade que vive a tragédia acima relatada. Sim, tragédia. É o que vemos hoje em Taubaté. Sempre me orgulhei de Taubaté. Hoje me envergonho. Penso em onde poderia morar. As notícias que assistimos diariamente em nossa cidade dão vontade de chorar. Dão tristeza e agonia de pensar quando isso terá um fim. Realmente. O senhor representante do Diretório Municipal do PMDB de Taubaté, partido que administra essa cidade, responsável pela situação deplorável que vivemos, tem razão. Somos PERDEDORES! Assumimos isso. Perdedores com a dignidade de assumir que perdemos. Perdemos parte do que melhor tínhamos em nossa cidade. E declaro aqui. Isso é um depoimento de um cidadão, não de um adversário político, de um partidário da oposição, ou de qualquer outro segmento. Sou apenas um cidadão, triste por ver onde chegamos, e por ver que ainda há quem defenda isso. Agora, admitindo sermos realmente os PERDEDORES, como o senhor mesmo coloca, devolvo ao Senhor uma pergunta de um PERDEDOR assumido, porém inconformado: Quem será, ou serão, os vencedores? Isso é uma disputa? Não deveria ser uma açào conjunta em prol de uma sociedade melhor? Seu depoimento é bem claro, de como a Prefeitura Municipal e o Diretório Municipal do PMDB encaram administrar uma cidade e os bens públicos dos cidadãos que nela habitam: uma disputa, um jogo de poder. Infelizmente, nós, moradores, somos as peças desse jogo, com quem vocês jogam e disputam poder. Só posso concluir com LAMENTÁVEL. Lamentável sua declaração, lamentável a posição de seu partido, e lamentável, acima de tudo, a nossa situação, da população de Taubaté. Palavras de um Cidadão comum, e que, acredite, reflete a opinião de muitos. Muitos que não estão nessa disputa de poder.

Comentado por Cidadão Taubateano, 12/04/2011 11:13

Anônimo disse...

Todo taubateano hoje é DERROTADO mesmo, Sr. Jacir! Derrotado pela vergonha de ter um semi-letrado como o Sr. num cargo "importatante" da "Administração" municipal. Derrotado pela dengue, pelo trânsito infernal, pelos buracos espalhados pela cidade inteira, pelos prédios históricos que estão em ruínas. Outro grande derrotado desta Taubaté atual é o vernáculo... O Sr. e seus chefes, pelo amor de deus, vão falar mal lá na...!