quinta-feira, 28 de abril de 2011

Arquivo Saqueado

Imagens exclusivas do arquivo municipal onde estão os documentos da Prefeitura de Taubaté. O local foi saqueado no dia 26 de abril de 2011.

2 comentários:

ubirajara vieira xavier disse...

Já com as portas abertas seria um bom momento para orgãos fiscalizadores de todo o Brasil tomarem consciência do quanto de mofo deve existir no papelaço sem o carimbaço dos orgãos competentes. A famosa chancela.E se não me engano acredito que os caros auditores são alérgicos! Em cada Município tem um depósito igual e inconsequente.

ubirajara vieira xavier disse...

MUNICÍPIO DE OURO GROSSO.

Tudo tão diferente em Ouro Grosso. As paisagens serenas equivalem à leveza das almas purificadas e idôneas. Tudo em sintonia com o Bem Maior: Ajudar o próximo seja lá quem for é a meta precípua do município, o maior alvitre. Os “caras de anjos” como são conhecidos na cidade estão empossados em cargos comissionados. Não fica caracterizado o nepotismo, pois são pessoas honestas e também elevadas a nível de secretários. Não existe vínculo imoral nem amoral com os diversos contratantes. Nada que venha comprovar qualquer tipo de irregularidade. Quanto à capacidade não existe dúvida, pois na mídia, em matérias não pagas, divulgam a existência de medalhas e diplomas expedidos ratificando a capacidade daqueles senhores, deixando aquém qualquer premio Nobel. Esses graduados estão fazendo um grande bem para o município de Ouro Grosso inclusive para o comércio local, pois seus polpudos salários, recebidos de maneira honesta, circulam no município. Existem alguns Secretários que só com produtos de uso pessoal gastam uma média de doze mil reais por mês. Acredito piamente que eles têm toda a razão. O negócio é aproveitar o dinheiro ganho tão suado, que foi frutos de medalhas e diplomas adquiridos pela capacidade e não comprados na Praça da Sé. Ajudam a circulação do dinheiro no município e isso é muito bom, pois estão auxiliando os pobres. As festas são extasiantes. Parques e circos, barracas e outros empreendimentos o ano inteiro para o povo excetuando as comissões que giram à parte. Um desperdício de fogos para a alegria de muitos.Para não confundir, todos os cordiais secretários e devidos associados ficam em silêncio, nada de torre de Babel. Até o relógio da catedral parou , colaborando para a tão desejável harmonia. O único problema com esses secretários é que gostam muito de carne de porco principalmente o toucinho e massas diversas, mesmo assim não sofrem de flatulência e não costumam sujar onde comem. Bom, vamos esquecer por ora os funcionários em questão. No município está circulando uma quantidade enorme de viaturas acertando e posicionando alguns grampos, juntamente com a Companhia de Guaraná Suave, para analisarem a ajuda que os comissionados contratados estão dando aos munícipes. Coisa grande, dantesca.Coisa de quebrar o queixo! Eles, os investigadores e jornalistas, pelas expressões e risos, entre espirros e anedotas, nunca viram tanta gente sendo ajudada. Tanto dinheiro público beneficiando tanta gente pobre. O Tribunal de Contas de Ouro Grosso via telefone são informados que a contabilidade está tudo em ordem o qual emite documentos um tanto estranhos carimbados e chancelados enviando-os via correio ao interessado. Revistas nacionais vão indagar ao Ministério Público o porque da não comunicação de tanta ajuda aos pobres miseráveis. Em Ouro Grosso vai se não me engano, sobrar chumbo fino! Como dizia a falecida Maria Bonita, mulher do herói Lampião. “Ajudar pobre é entrar na confusão”.Sei lá! Nossa nesse município de Ouro Grosso os mandantes têm complexo de Robin Hood: Tirar dos ricos para dar para os pobres. O quê? – Esse o quê me parece não esclarecedor mas explico : Os funcionários quando abordados a dar uma explicação se exprimem por meio de preposições e advérbios e por palavras desprovidas de qualquer sentido e quando embaraçados nunca terminam uma frase com a absoluta atenção no que estão dizendo. As vezes esquecem do que estavam dizendo e pulam para outro assunto.Silêncio total! A mudez dos benévolos