quinta-feira, 10 de março de 2011

Memória vilipendiada 2

Laterais da igreja com calhas entupidas e danos nas paredes


Telhas quebradas com a queda de raio



Plantas e umidade nas paredes externas


2 comentários:

Luiz Carlos disse...

Nosso comentário objetivo é quase uma chuvarada sobre o molhado, mas não podemos deixar de relembrar a realidade.

O Padre Deputado deveria encaminhar o levantamento sobre o deplorável estado de conservação da referida Igreja para o Estado Maior da poderosa Igreja Católica Apostólica Romana, porque é inadmissível alocar verbas nacionais, com Lei Rouanet ou sem Lei Rouanet, porque não se vê o mesmo tratamento para Templos Evangélicos, Espíritas, Maometanos, Budistas, israelitas, etc.
É muita desfaçatez que um país Constitucionalmente laico desrespeite todas as demais crenças religiosas carreando recursos para manutenção/reconstrução de Igrejas da Riquérrima e Poderosa Igreja Católica Apostólica Romana.

Chanchas disse...

Amigo Luiz Carlos, esta edificação é patrimonio histórico estadual. A recuperação da igreja não deve se dar pelo fato de ser uma igreja católica, mas sim por representar a história de nossa cidade, e de parte da história do Brasil, já que Redenção foi uma das primeiras à libertar os escravos. Não prezar pela preservação deste edificio seria o mesmo que ignorar a Acropolis de Atena somente pelo fato de não mais serem cultuados os deuses gregos antigos.