quinta-feira, 10 de março de 2011

Memória Vilipendiada 1

Relacionados abaixo os problemas com o prédio da Igreja Matriz de Redenção da Serra, descritos pela assessoria do deputado estadual Padre Afonso (PV) no relatório entregue ao presidente da CESP, Mauro Arce, em janeiro de 2011. O poder Executivo espera receber de volta o prédio para dar início às obras de restauração em parceria com empresas privadas por meio de Lei Rouanet.

- Telhado apresenta avarias em diversos pontos, o que tem provocado um intenso vazamento de águas das chuvas que atingem diretamente as paredes do prédio.

- Calhas estão entupidas em vários pontos por conta de excesso de terra e de plantas que impedem o escoamento da água.

- Hall de entrada do prédio é constantemente invadido pelas águas da chuva, uma vez que o piso dentro da igreja está no mesmo nível do piso do pátio externo.

- Há sinais de umidade por todos os pontos do prédio, o que representa uma ameaça constante, uma vez que as paredes da igreja foram construídas em taipa de pilão.

- O forro apresenta diversos pontos onde a madeira está totalmente apodrecida por causa da ação da água que atinge a parte interna do prédio.

- O sótão da Igreja, onde ficava o coral, está com o piso de madeira totalmente avariado, correndo sérios riscos de desmoronamento a qualquer momento.

- A antiga capela do Santíssimo Sacramento é um dos locais mais atingidos pelos vazamentos de água de chuva, a ponto de ter todo o altar em estado deplorável, bem como a pintura das paredes e forro totalmente danificados, colocando em risco a segurança do local.

- As duas torres da Igreja apresentam uma série de problemas e danos. A estrutura interna, de madeira, não permite mais o acesso aos sinos e ao relógio de uma das torres.











Um comentário:

Anônimo disse...

que situação hein?