sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

“Conveniência recíproca”

Câmara aprova que 75 % dos cargos de gerência poderão ser ocupados por pessoas de confiança. Perguntado de onde a Câmara havia tirado os 75 %, o vereador Henrique Nunes, presidente da Câmara, foi objetivo: “o pau que bate em Chico, bate em Francisco”. Traduzindo, os vereadores aprovaram o pedido do prefeito sobre a contratação de até 75 % dos cargos de gerência por funcionários comissionados (de confiança, não concursados). Antes, porém, o prefeito havia solicitado 80 % e a Câmara havia aprovado 50 %, quando historicamente sempre fora da ordem de 25 %, enquanto no Legislativo era de 1/3.
A Câmara, então, preferiu se acomodar nos índices da Prefeitura? Trata-se de uma conveniência recíproca, responde o vereador Henrique Nunes. O presidente da Câmara acredita que agora não terá maiores dificuldades com o Ministério Público e com a Justiça da Vara da Fazenda uma vez que a versão aprovada da reforma administrativa atende todos os itens que haviam sido questionados pelo promotor e pelo juiz.
O vereador e ex-prefeito Mário Ortiz (DEM) foi o único vereador a votar contra essa proposta.

Esse e outro temperos você encontra na edição 443 do Jornal CONTATO, já nas bancas.

Um comentário:

Anônimo disse...

Que palhaçada senhores (as) vereadores (as).

Entraram no jogo politico de Roberto Peixoto, aprovando a proposta de 75% dos cargos de gerência serem comissionados.

Agora a incompetência vai infiltrar na prefeitura com as indicações POLITICAS.

Como sempre o funcionário de carreira perde.

Qual a justificativa senhores vereadores (as).

É verdade sim , que tem muito funcionário incompetente na prefeitura, mas também tem funcionários que merecem respeito, consideração e indicação para os cargos de gerência.

Enfim, a prefeitura esta cada vez pior em todos os sentidos.