sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Vila Santo Aleixo
Vítima do padrão Peixoto

A Defensoria Pública de Taubaté encaminhará à Justiça um parecer contrário ao projeto de recuperação da Vila Santo Aleixo apresentado pela Prefeitura. O “projeto” não tem “consistência e previsão cronológica de quando começa e quando termina. Também não há nenhum levantamento orçamentário. É uma mera carta genérica de intenções", afirmou o defensor público Wagner Giron de La Torre ao Valeparaibano. A impressão que se tem é que os inquilinos do Palácio Bom Conselho gostariam que o patrimônio histórico de Taubaté ficasse como o de São Luiz.

5 comentários:

Anônimo disse...

Que comparação infeliz!!! Em SLP aconteceu uma tragédia, nada a ver comparar com o descaso da prefeitura de Taubaté!!!

Luiz Carlos disse...

Só quem ainda não passou pelo local não consegue prever outra tragédia anunciada: Villa Santo Aleixo no Chão.

O descaso e o desleixo que a Profa. Dra. Maria Lucila Junqueira Barbosa,incompetente Reitora da Universidade de Taubaté e imerecida Cidadã Taubateana impôs ao rico patrimônio pelo andar da carruagem está a fazer adeptos no município, visto a demora em se restaurar o histórico solar.

O cidadão que subscreve o presente comentário é visceralmente contra o aproveitamente do Projeto de Restauração elaborado pela UNITAU visto que no auge da crise envolvendo a Villa Santo Aleixo não se viu nenhum dos professores da Cátedra de Arquitetura vir a público manifestar pesar pelo descaso com que a Alta Administração conduziu o processo tão-menos viu-se em terras de Lobato os futuros arquitetos formados pela anacrônica universidade protestarem contra o crime que se praticava contra o patrimônio da humanidade. Por essas e por outras a Prefeitua devia contratar projeto de restauração da Villa Santo Aleixo de entidades comprometidas com a importância do monumento para os taubateanos.

Anônimo disse...

O que a Duda Mattos tem a dizer????

Anônimo disse...

Concordo com a posição do cidadão Luiz Carlos, caso se utilize o projeto de restauração da UNITAU, no futuro como o povo tem memória curta ninguém vai sequer imaginar que a Reitora que ostenta o título de cidadã Taubateana ousou propor à Câmara Municipal a venda do histórico patrimônio à iniciativa privada para que esta construísse no local torres residenciais/comerciais, vilipendiando o inestimável patrimônio.
Que tipo de cidadãos essa universidade forma? Os alunos formandos em Arquitetura calaram-se diante de tamanha ameaça ao patrimônio arquitetônico representado pela Villa Santo Aleixo, a exemplo de seus mestres os catedráticos de Arquitetura da arcáica instituição de ensino..

Se a população taubateana tivesse consciência disso tudo, por certo haveriam de cassar o título de cidadania imotivadamente outorgado à Magnânima Reitora da UNITAU. Seria de bom alvitre se essa ridícula cidadã guaratinguetaense nos devolvesse esse título de cidadamia taubateana por absoluta falta de merecimento.

Fora Lucila!!

Anônimo disse...

Taubaté tinha coisa mais importante
que "vila santo Aleixo" e deixaram derrubar por "DINHEIRO" ,E NINGUÉM ABRIU A BOCA,CALARAM-SE !!
Estou falando do COMPLEXO INDUSTRIAL DA CTI,CONSTRUÇÃO ARTISTICA DA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NO PAÍS,isto sim que seria um patrimonio histórico que deu impulso a Taubaté gerando empregos para a população por muitos anos!
PORTANTO DANE-SE A VILA STO. ALEIXO
E QUE DEIXE O LUGAR PARA A MODERNIDADE,CHEGA DE TAPERAS EM TAUBATÉ.