segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Monocultura de eucalipto em xeque

A Defensoria Pública Regional de Taubaté ajuizou hoje, 17, uma Ação Civil Pública contra a Votorantim Celulose e Papel (VCP) com objetivo de impedir cortes e transportes de eucalipto pelas ruas centrais do Distrito de Catuçaba, em São Luís do Paraitinga, para evitar desgastes à Rodovia Abílio Monteiro de Campos (linha azul no mapa acima), único acesso de Catuçaba à Rodovia Oswaldo Cruz. Os moradores do local estão também temerários quanto ao dano que pode ser causado à Rua Cel. Jordão Monteiro, via central do Distrito, por estar rodeada de imóveis antigos e históricos do centro. O local tem 172 anos desde a fundação.
Isso porque a empresa já avisou que, no início de 2010, irá iniciar o corte e transporte de grande quantidade de eucalipto de sua Fazenda “Sertãozinho II”, de 316 hectares plantados de eucalipto, que se localiza nos entornos de Catuçaba. Também constam como réus na ação judicial o município de São Luís do Paraitinga e o Estado de São Paulo.
Histórico -Em março de 2008, em decisão inédita, o Tribunal de Justiça de São Paulo proibiu novos plantios e cortes de eucalipto em São Luís graças à ação judicial da Defensoria Pública. Todas as informações sobre este episódio podem ser vistas na edição 385 de CONTATO pelo site www.jornalcontato.com.br.

Nenhum comentário: