quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

MPF na cola de Roberto de Peixoto

Taubaté compra material didático 6.000% mais caro

do que os livros oferecidos pelo governo federal

Deu hoje no site da UOL a notícia que o Blog já havia divulgado

A Prefeitura de Taubaté renovou por mais um ano, sem licitação, um contrato no valor de R$ 10,5 milhões da editora Expoente Soluções Comerciais e Educacionais pelo fornecimento de material didático para o ano letivo de 2009. Esse preço é cerca de 6.000% maior do que o custo dos livros que antes eram fornecidos pelo governo federal.

O cálculo foi feito pelo Ministério Público Federal de São Paulo (MPF/SP), que pediu uma liminar judicial que cancele os pagamentos e não descarta entrar com ação civil pública de improbidade administrativa contra o prefeito do município, Roberto Pereira Peixoto (PMDB), e o diretor do Departamento de Educação, José Benedito Prado.

O procurador da República João Gilberto Gonçalves Filho, que assina o pedido de liminar contra a renovação do contrato, destaca que o custo para a União com os livros que poderiam ser fornecidos à cidade é de R$ 170 mil por ano, enquanto o contrato proposto pela prefeitura prevê pagamentos de mais de R$ 10 milhões anuais.

O diretor do Departamento de Educação de Taubaté, José Benedito Prado, destaca que o contrato assinado em 2006 foi aprovado pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, "o que demonstra que os custos não são exorbitantes". Com relação à renovação, Prado argumenta que o pregão para compra de material para 2009 não foi feito a tempo, de modo que os alunos ficariam sem livros se não houvesse imediata prorrogação do acordo com o Grupo Expoente. O diretor do Departamento de Educação também adianta que os trâmites para a licitação referente ao ano de 2010 estão sendo preparados.

Quandoo prefeito Peixoto foi reeleito no cargo, no final de 2008, o procurador Gonçalves Filho denunciou à Justiça Eleitoral suposto uso da máquina administrativa na campanha eleitoral. Na ocasião, o procurador criticou a distribuição de 70 mil apostilas sobre a história do município, impressas pela mesma gráfica, nas quais a imagem do então prefeito-candidato era "enaltecida" em uma "propaganda explícita".

A Expoente confirmou a confecção do material, mas alega que se tratava de "conteúdo informativo quanto ao fazer educacional do dia-a-dia das unidades escolares da rede municipal".

6 comentários:

DULA disse...

ESSA É A LEI DE GERSON TODOS GOSTAM DE LEVAR VANTAGEM EM TUDO CERRRTO !!??

DULA disse...

ESSA É A LEI DE GERSON TODOS GOSTAM DE LEVAR VANTAGEM EM TUDO CERRRTO !!??

Anônimo disse...

O que mata é a ignorância do povo. Façam uma conta básica para verem que está acusação é absurda. R$ 170.000,00 para atender aproximadamente 46.000 alunos. Nem papel higiênico custa isto. Os livros que o governo fornece são umas porcarias e não atendem em todas as disciplinas. Além de tudo o coitado do aluno tem cuidar do livro do governos porque ele tem que durar 3 anos, isso quando não tem que dividir com o amigo. Pois faltam livros. Emfim temos uma educação descente e nossos filhos são tratados na escola pública como alunos de escolas de ricos e o povo fica falando mal. Não adianta, o povo quer continuar ignorante mesmo.

DULA disse...

´MUITO ME ESPANTA O COMENTÁRIO ACIMA !!! OS LIVROS DO GOVERNO PODE SER UMA "MERRRCADORRIA" O PIOR É TER QUE PAGAR A MAIOR GRANA PRA LEVAR OUTRA "MERRRCADORRIA" PRA CASA SE É PRA GASTAR VAMOS GASTAR COM UMA COISA DECENTE!!!!

José Cobra disse...

Os livros do PNLD não podem ser uma porcaria porque são avaliados pelos professores.

Agora, o cúmulo da besteira é dizer que os alunos da rede municipal são tratados como alunos de escola de ricos. Como é burro esse idiota.
Por isso não tem coragem nem de se identificar.

Anônimo disse...

Antes de criticar é necessário atentar aos fatos. A partir do inicio da utilização das apostilas no ensino publico de Taubaté, o indice de aprovação em colegios padrões aumentou exponencialmente. Partindo do fato que os municípios têm autonomia na gestão e escolha dos métodos de ensino, quem nao estiver satisfeito com a utilização do dinheiro publico para a melhoria do ensino deveria nao estar perdendo seu tempo acusando o prefeito e sim indo ate ele e dando sugestoes construtivas e viavéis de como utilizar a verba publica.