segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Humor

Charge do site www.viapolitica.com.br

Posted by Picasa

Nota oficial do PMDB

Abaixo a íntegra da nota divulgada pela Executiva Nacional do PMDB por conta da entrevista do senador Jarbas Vasconcelos à Revista Veja.

Em face da entrevista do senador Jarbas Vasconcelos, a Comissão Executiva Nacional do PMDB declara que não dará maior atenção a ela em razão da generalidade das alegações. Não aponta nenhum fato concreto que fundamente suas declarações.

Ademais, lança a pecha de corrupção a todo sistema partidário quando diz "a corrupção está impregnada em todos os partidos". Trata-se de um desabafo ao qual a Executiva Nacional do Partido não dará maior relevo.

Brasília, 16 de fevereiro de 2009
Comissão Executiva Nacional

PMDB corrupto

Na mesma semana em que CONTATO publica sua reportagem "Militante histórico do PMDB apresenta sua (ácida) defesa prévia", edição 397, sobre o processo de expulsão de um dos fundadores do PMDB de Taubaté, o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB) concede entrevista bombástica à revista Veja. Para quem ainda não teve a oportunidade de ler, CONTATO reproduz os principais trechos:

"Eu entrei no MDB para combater a ditadura, o partido era o conduto de todo o inconformismo nacional. Quando surgiu o pluripartidarismo, o MDB foi perdendo sua grandeza. Hoje, o PMDB é um partido sem bandeiras, sem propostas, sem um norte. É uma confederação de líderes regionais, cada um com seu interesse, sendo que mais de 90% deles praticam o clientelismo, de olho principalmente nos cargos (...) A maioria dos peemedebistas se especializou nessas coisas pelas quais os governos são denunciados: manipulação de licitações, contratações dirigidas, corrupção em geral. Boa parte do PMDB quer mesmo é corrupção".

O senador também falou sobre o governo Lula: "O grande mérito de Lula foi não ter mexido na economia. Mas foi só. O país não tem infraestrutura, as estradas são ruins, os aeroportos acanhados, os portos estão estrangulados, o setor elétrico vem se arrastando. A política externa do governo é uma piada de mau gosto.Um governo que deixou a ética de lado, que não fez as reformas nem fez nada pela infraestrutura agora tem como bandeira o PAC, que é um amontoados de projetos velhos reunidos em um pacote eleitoreiro. É um governo medíocre. E o mais grave é que essa mediocridade contamina vários setores do país. Não é à toa que o Senado e a Câmara estão piores (...) O PT denunciava todos os desvios, prometia ser diferente ao chegar ao poder. Quando deixou a mascára cair, abriu a porta para a corrupção."

Sobre os atores políticos: "A classe política hoje é totalmente medíocre. E não é só em Brasília. Prefeitos, vereadores, deputados estaduais também fazem o mais fácil, apelam para o clientelismo (...) É possível [uma mudança da classe política], mas será um processo longo, não é para esta geração. Não é só mudar nomes, é mudar práticas."

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Chuva

As imagens mostram o drama dos moradores do bairro Fonte Imaculada, em Taubaté. Quando chove, os moradores tem a certeza de que vai alagar. As pessoas esperam há mais de uma década por providências do poder público municipal. Quando a chuva começou na manhã de ontem, nossa reportagem foi ao local para registrar este drama urbano. Que vergonha!
Fotos de Marcelo Caltabiano e Antonio Baum.

Posted by Picasa

Chuva 2

Posted by Picasa

Falta de água

A assessoria de imprensa da Sabesp acaba de informar que o abastecimento de água em Taubaté e Tremembé, que está prejudicado por conta das chuvas, começa a se normalizar gradativamente a partir das 15h. Até às 22h de hoje o abastecimento deverá voltar ao pleno funcionamento, segundo a Sabesp. Enquanto isso, os funcionários da empresa realizam uma "manobra operacional" para alimentar com água as áreas atingidas.

Merenda Escolar

Abaixo a lista de documentos anexos à representação entregue ao Ministério Público Estadual em 11 dejunho de 2008.

a)Planilha com o resumo do levantamento parcial do fornecimento de merenda escolar pela SISTAL em duas escolas: Creche Nair Mouassab e EMEIEF Professor Guido José Gomes Miné.

b)Planilhas de controle de fornecimento de merenda escolar na Creche Nair Mouassab e relacionadas na planilha resumo.

cPlanilhas de controle de fornecimento de merenda escolar na EMEIES Professor Guido José Gomes Miné e relacionadas na planilha resumo.

d)Planilhas sem alterações visíveis mas com nomes de responsáveis que poderão esclarecer dúvidas.

e)Cópia do Edital de Pregão Presencial nº 63/06 para a contratação de empresa especializada em fornecimento de serviços de alimentação.

f)Cópia de correspondência enviada pela SISTAL à Prefeitura contendo nome e CRN dos nutricionistas responsáveis técnicos pelo serviço de alimentação contratados e assinada por Cristiane Vetturi, vice-presidente da empresa.

g)Cópia de procuração fornecida pela EB – Alimentação Escolar Ltda ao sr. Gilson Carlos Santos Jr, assinada por Cristiane Vetturi como vice-presidente da empresa EB

h)Cópia da Ata de Sessão Publica Única(4 páginas) sobre o Pregão nº 00063/2006, Processo 28854/2006

i)Pequena amostra de notícias (9 páginas) divulgadas por diferentes veículos de comunicação a respeito da SISTAL e EB e de problemas comuns que são observados no serviço de fornecimento de merendas escolar.

Merenda Escolar

Segue abaixo, na íntegra, o artigo intitulado "A bala de prata", publicado na edição 350, de 8 a 15 de fevereiro de 2008, de autoria do nosso diretor de redação Paulo de Tarso Venceslau, conforme noticiado na reportagem "Merenda escolar pode asfixiar Peixoto" publicada na edição 397.


A bala de prata

Nem a chuva e o frio que tomaram conta da terra de Lobato em pleno verão arrefeceram o ânimo e as especulações a respeito de quem seria a vítima da única bala de prata que descansa inquieta na garrucha do Justiceiro

Tem uma lenda correndo pela cidade. Apareceu um Justiceiro armando com uma garrucha. Isso mesmo, garrucha. Aquela que dobra para que pudesse ser carregada com uma ou duas balas. A do Justiceiro, dizem, tem cano simples. E ele só tem uma bala. Uma bala de prata. Daquelas usadas para combater lobisomem.
O Justiceiro não usa capa cinza longa e nem chapéu meio caído sobre os olhos. Aliás, ninguém que viu seus olhos sobreviveu. Muitos afirmam que nem olho ele tem. Seriam dois buracos escuros que enxergam tudo. Até a alma dos seus desafetos. O Justiceiro é uma fera que não brinca em serviço.
Esse é o assunto de 11 entre 10 rodas de amigos nos botecos da estrada de Sete Voltas. Até o incêndio que comeu parte das terras de Gabino, o seresteiro do Vale, já foi debitado na conta dessa estranha criatura. Outros afirmam que antes de vir para a cidade, ele cavalgava galhardamente seu cavalo alazão. Lá, ninguém tem medo do Justiceiro.
Já nos botecos da estrada do Barreiro corre a lenda de que o Justiceiro andava com um fusquinha caindo aos pedaços. Era sempre bem recebido. Todo mundo queria que ele aceitasse um drinque ou um petisco. Mas ninguém se recorda de um dia ter ouvido qualquer palavra daquele estranho, mas simpaticíssimo homem enfiado naquela capa cinza. A única certeza que os moradores da estrada do Barreiro têm é que desde que o Justiceiro apareceu por lá não houve um roubo de galinha sequer.
De repente, o Justiceiro foi visto passando pelo Bar do Osmar. Outra noite, teria sido no Chico Bunda. Em seguida os bares do Pereba, Tangaroa, Tipuana passaram a disputar a presença do Justiceiro desde que ele se afastou da Sete Voltas e do Barreiro. Só no Blues Brazil não há registro de testemunhas. Seriam os poderes mediúnicos de Paulinho, Walter e Michel que estariam impedindo sua presença. Os mais entendidos, porém, dizem que o Blues tem corpo fechado.
Na Casa da Eliza, em Quiririm, o Justiceiro teria optado por uma mesa sob uma das frondosas árvores do seu jardim. Na última vez, Armando jura que viu a garrucha do homem (?). "Tem um único cano, está sempre engatilhado e a única bala de prata brilha tanto que dá pra ver até no escuro", conta assustado um funcionário da subprefeitura.
Quando essa notícia passou pela avenida Tiradentes e subiu alguns degraus em frente a guarnição do Corpo de Bombeiros, houve um verdadeiro frisson. E olha que o Carnaval ainda nem havia começado. Zé Arvico nem havia decidido ainda que seria candidato a vereador. Mas a história da bala de prata pegou.
Quem seria a próxima vítima do Justiceiro? Um padre pedófilo? Um traficante de peso? Um político que rouba dinheiro público? Um pai-de-santo fajuto? Um traveco que quase o engana? O criador das maravilhosas rotatórias da terra de Lobato?
Seja qual for a resposta, nas rodas de botecos, aos poucos, vai crescendo uma certeza: a bala de prata será usada em 2008.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

MPF na cola de Roberto de Peixoto

Taubaté compra material didático 6.000% mais caro

do que os livros oferecidos pelo governo federal

Deu hoje no site da UOL a notícia que o Blog já havia divulgado

A Prefeitura de Taubaté renovou por mais um ano, sem licitação, um contrato no valor de R$ 10,5 milhões da editora Expoente Soluções Comerciais e Educacionais pelo fornecimento de material didático para o ano letivo de 2009. Esse preço é cerca de 6.000% maior do que o custo dos livros que antes eram fornecidos pelo governo federal.

O cálculo foi feito pelo Ministério Público Federal de São Paulo (MPF/SP), que pediu uma liminar judicial que cancele os pagamentos e não descarta entrar com ação civil pública de improbidade administrativa contra o prefeito do município, Roberto Pereira Peixoto (PMDB), e o diretor do Departamento de Educação, José Benedito Prado.

O procurador da República João Gilberto Gonçalves Filho, que assina o pedido de liminar contra a renovação do contrato, destaca que o custo para a União com os livros que poderiam ser fornecidos à cidade é de R$ 170 mil por ano, enquanto o contrato proposto pela prefeitura prevê pagamentos de mais de R$ 10 milhões anuais.

O diretor do Departamento de Educação de Taubaté, José Benedito Prado, destaca que o contrato assinado em 2006 foi aprovado pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, "o que demonstra que os custos não são exorbitantes". Com relação à renovação, Prado argumenta que o pregão para compra de material para 2009 não foi feito a tempo, de modo que os alunos ficariam sem livros se não houvesse imediata prorrogação do acordo com o Grupo Expoente. O diretor do Departamento de Educação também adianta que os trâmites para a licitação referente ao ano de 2010 estão sendo preparados.

Quandoo prefeito Peixoto foi reeleito no cargo, no final de 2008, o procurador Gonçalves Filho denunciou à Justiça Eleitoral suposto uso da máquina administrativa na campanha eleitoral. Na ocasião, o procurador criticou a distribuição de 70 mil apostilas sobre a história do município, impressas pela mesma gráfica, nas quais a imagem do então prefeito-candidato era "enaltecida" em uma "propaganda explícita".

A Expoente confirmou a confecção do material, mas alega que se tratava de "conteúdo informativo quanto ao fazer educacional do dia-a-dia das unidades escolares da rede municipal".

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Diversão de rico

Imagens, divulgadas pela Polícia Militar, do bingo clandestino que funcionava no condomínio de luxo "Morada dos Nobres", no bairro Cataguá em Taubaté. A PM chegou ao local por meio de denúncia anônima. O flagrante ocorreu no dia 07 de fevereiro às 03h42. Foram 33 máquinas de caça-níqueis entre outros equipamentos para jogos apreendidos. Vários pessoas que estavam no local no momento do flagrante fugiram com a chegada da polícia. Desesperadas, ao fugirem, as pessoas deixaram para trás os celulares e as chaves.
Como seriam as manchetes dos jornais da terra de Lobato com fotos de socialites viciadas sendo conduzidas à delegacia?


Posted by Picasa

Caos

Rua 4 de março. Ontem, 09 de fevereiro, às 18h15. Isto é Taubaté.

Posted by Picasa

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

MPF contra as apostilas

Leia abaixo, na íntegra, a Ação Civil Pública proposta pelo Ministério Público Federal, em 06 de fevereiro, sobre a nova aquisição de apostilas da empresa Expoente. Desta vez, a Prefeitura de Taubaté fez uma compra de R$ 10.000.000,00, sem licitação.

EXCELENTÍSSIMA SENHORA DOUTORA JUÍZA FEDERAL DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE TAUBATÉ, ESTADO DE SÃO PAULO.

URGENTE PEDIDO DE LIMINAR

O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, pelo Procurador da República que esta subscreve, vem à honrosa presença de Vossa Excelência propor a presente AÇÃO CAUTELAR PREPARATÓRIA DE AÇÃO CIVIL PÚBLICA POR ATO DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA, COM PEDIDO DE MEDIDA LIMINAR, EM PROTEÇÃO DO PATRIMÔNIO PÚBLICO em face de:

a) ROBERTO PEREIRA PEIXOTO, Prefeito Municipal de Taubaté/SP, brasileiro, casado, engenheiro, portador do RG n.º 6.422.552 (SSP-SP), CPF/MF n.º 738.598.508-49, residente e domiciliado na Rua do Café, n.º 241, Alto São João, na cidade de Taubaté, Estado de São Paulo;

b) JOSÉ BENEDITO PRADO, Diretor do Departamento de Educação e Cultura de Taubaté, portador do RG. nº 11.454.563 e do CPF/MF n.º 088.241.518-25, residente e domiciliado na Praça Oito de Maio, s/nº, Centro, Taubaté-SP;

c) EXPOENTE SOLUÇÕES COMERCIAIS E EDUCACIONAIS LTDA., pessoa jurídica de direito privado, CNPJ/MF sob n.º 02.374.177/0001-83, com sede na Av. Maringá, n.º 350, V. Emiliano Perneta, cidade de Pinhais, Estado do Paraná, representada por João Eduardo Batista de Souza, RG nº. 826.630-1 SSP-PR;

d) MUNICÍPIO DE TAUBATÉ, pessoa jurídica de direito público, representada pelo Prefeito Municipal ROBERTO PEREIRA PEIXOTO, a ser localizado na sede da Prefeitura Municipal de Taubaté.

pelas razões de fato e de direito adiante aduzidas.

I - DOS FATOS

1. Em 11 de setembro de 2008, o MPF propôs ação civil pública em face dos demandados pelo seguinte fato: em janeiro de 2006, a PREFEITURA DE TAUBATÉ, representada pelo Prefeito ROBERTO PEIXOTO e com o suporte Do Diretor de Educação JOSÉ BENEDITO PRADO, firmou um contrato com a empresa EXPOENTE SOLUÇÕES COMERCIAIS E EDUCACIONAIS LTDA absolutamente lesivo aos cofres públicos, consistente na compra de apostilas didáticas para o ensino fundamental ao custo global de R$ 33.420.000, (trinta e três milhões, quatrocentos e vinte mil reais) para fornecimento por um período de três anos . (doc. 01 – cópia da petição inicial)

2. O MPF provou documentalmente naquela ação que o Prefeito e seu Diretor de Educação dispensaram os livros didáticos fornecidos gratuitamente pela UNIÃO através do programa nacional do livro para fazer esse contrato estapafúrdio, devolvendo-os todos. O MPF também documentalmente provou que os livros didáticos fornecidos pela UNIÃO tiveram um custo de R$ 170.000,00 (cento e setenta mil reais) para o período de um ano. (doc. 02 – cópia do Ofício CG n.º 2480/2006, da Secretaria Estadual de Educação). O custo para o Município seria zero, uma vez que os livros foram doados gratuitamente, mas depois devolvidos. O custo dos livros para a UNIÃO é que foi de R$ 170.000,00 (cento e setenta mil reais).

3. Seja como for, ressalte-se que, se fosse para três anos, o custo dos livros didáticos fornecidos pela UNIÃO seria de R$ 510.000,00 (quinhentos e dez mil reais), que é o resultado de R$ 170.000,00 multiplicado por três. Porém, esses livros foram devolvidos pela Prefeitura, sendo assim adquiridas as apostilas junto à empresa solução pelo preço inacreditavelmente absurdo de R$ 33.420.000, (trinta e três milhões, quatrocentos e vinte mil reais).

4. As apostilas exercem exatamente a mesma função dos livros, ou seja, servir de material de apoio ao ensino. Todavia, o custo das apostilas adquiridas pela PREFEITURA junto à empresa privada EXPOENTE é 6000% (SEIS MIL POR CENTO) SUPERIOR.

5. Veja só, não estamos falando de um superfaturamento de dez ou vinte por cento, mas sim de SEIS MIL POR CENTO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

6. Posteriormente, o MPF tomou conhecimento que essa empresa EXPOENTE colaborou para a reeleição do Prefeito ROBERTO PEIXOTO ao Poder Executivo Municipal para o período de 2009/2012, elaborando a confecção de 47.000 (quarenta e sete mil) exemplares de um boletim "informativo", com excelente impressão estética e ilustrações coloridas, amplamente distribuído na rede pública de ensino, sendo que esse material continha, sem nenhum pudor, explícita propaganda política em favor do então candidato à releição ROBERTO PEIXOTO. (doc. 03, cópia do referido informativo). Este fato foi levado ao conhecimento do Ministério Público Eleitoral pelo ofício PRM/TBT/N.º 353/2008, datado de 16 de outubro de 2008. (doc. 04, cópia do referido ofício).

7. Na data de hoje, o jornal "Vale Paraibano" de hoje trouxe a seguinte notícia de capa: "Peixoto paga R$ 10,5 milhões por apostila. Sem licitação, a Prefeitura de Taubaté renovou por R$ 10,5 milhões o contrato com a empresa Expoente para o fornecimento de apostilas às escolas municipais. O acordo tem validade de um ano. No final de2008, o prefeito Roberto Peixoto (PMDB) prometeu que faria uma licitação para escolher o grupo que forneceria as apostilas, mas o DEC (Departamento de Educação e Cultura) alega que não haveria tempo para a concorrência." (doc. 05, reprodução integral da notícia da página 07 do primeiro carderno do referido jornal).

8. O Prefeito de Taubaté ROBERTO PEREIRA PEIXOTO e o Diretor de Educação JOSÉ BENEDITO PRADO, talvez crentes da sua impunidade, estão apostando na incapacidade de o Poder Judiciário dar respostas rápidas e efetivas no combate à corrupção descarada.

9. É isto o que esta ação pretende evitar. Pretende-se, em caráter de urgência, estancar os efeitos desse novo contrato astronomicamente superfaturado, sem licitação, impedindo a realização de qualquer pagamento à empresa EXPOENTE e obrigando-se a PREFEITURA DE TAUBATÉ a receber livros didáticos do programa nacional do livro da UNIÃO

II – DO DIREITO

10. Quanto ao cabimento da medida cautelar. O artigo 4.º da Lei 7.347/1985 permite expressamente o ajuizamento de ação cautelar preparatória de ação civil pública. Nem havia necessidade de dispositivo expresso na Lei da Ação Civil Pública. Basta reconhecer a existência de um poder geral de cautela ao juiz, consagrado pelo art. 798 do Código de Processo Civil .

11. Quanto aos pressupostos da medida cautelar. O autor tem até o presente momento a notícia jornalística dando conta da existência do contrato, do seu teor e da falta de licitação. Embora não seja suficiente para um julgamento de mérito, é suficiente para a prova de fumus boni juris, requisito necessário à concessão da medida cautelar.

13. A urgência (periculum in mora) está estampada na necessidade de se evitar a sangria desenfreada de dinheiro do povo, diante de tantas outras carências na saúde e na própria educação, como os salários baixos dos professores, lesando-se difusamente a população predominantemente miserável do município de Taubaté.

14. Quanto à competência da Justiça Federal. A ação civil pública n.º 2008.61.21.003706-4, acima referida, foi proposta na Justiça Federal, na linha de inúmeros julgados do STJ, diante da utilização de verbas do F.N.D.E. (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação). No corpo da petição inicial foi transcrita a ementa do CC 35188, 3ª seção, Rel. Min. Gilson Dipp, DJ 10.03.2003. O mesmo raciocínio aplica-se ao caso em exame.

15. Quanto à legitimidade do Ministério Público para a tutela do patrimônio público e da moralidade administrativa. Embora os arts. 127 e 129 da Constituição sejam de clareza solar a tal propósito, o STJ houve por bem editar a súmula 329 do seguinte teor: "O Ministério Público tem legitimidade para propor ação civil pública em defesa do patrimônio público."

III – ESPECIFICAÇÃO DA AÇÃO PRINCIPAL A SER PROPOSTA.

16. Em atenção ao disposto no art. 801 do CPC, o autor informa que irá propor uma ação civil pública por ato de improbidade administrativa como ação principal, na qual se pleiteará a declaração de nulidade do contrato ora impugnado por falta indevida de licitação, superfaturamento e violação ao princípio da moralidade. Será também requerida a aplicação das penas da Lei de Improbidade Administrativa aos réus ROBERTO PEIXOTO, JOSÉ BENEDITO PRADO e EXPOENTE SOLUÇÕES.

IV – DO PEDIDO

18. Diante do quanto exposto, o MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, com fulcro nos artigos 4.º e 12 da Lei 7.347/1985 e do poder geral de cautela do magistrado, requer-se seja concedida medida liminar inaudita altera pars,

a) determinando-se ao MUNICÍPIO DE TAUBATÉ que não realize nenhum pagamento à empresa EXPOENTE SOLUÇÕES COMERCIAIS E EDUCACIONAIS LTDA, a qualquer título, impondo-se ao Prefeito ROBERTO PEIXOTO e ao Diretor de Educação JOSÉ BENEDITO PRADO multa de R$ 10.500.000,00 (dez milhões e quinhentos mil reais) em caso de descumprimento;

b) determinando-se ao MUNICÍPIO DE TAUBATÉ que imediatamente entre em contato com a Secretaria Estadual da Educação e tome providências administrativas cabíveis para obter os livros didáticos para fornecimento aos alunos da rede pública de ensino, informando-se o juízo no prazo de três dias úteis, sob pena de multa diária de R$ 100.000,00 (cem mil reais) ao Prefeito ROBERTO PEIXOTO e ao Diretor de Educação JOSÉ BENEDITO PRADO em caso de descumprimento;

c) determinando-se à empresa EXPOENTE SOLUÇÕES COMERCIAIS E EDUCACIONAIS LTDA, que deposite em juízo, no prazo de três dias úteis, qualquer verba já recebida do MUNICÍPIO DE TAUBATÉ em virtude desse contrato, ou termo aditivo de contrato, noticiado pelo jornal "Vale Paraibano" no doc. 05, sob pena de multa diária de R$ 100.000,00 (cem mil reais) em caso de descumprimento;

19. Requer-se, ao final, seja proferida sentença concedendo, em definitivo, as medidas cautelares postuladas a título de decisão liminar.

20. Requer-se, outrossim, seja realizada a citação pessoal dos réus para responderem à presente ação no prazo legal, bem como seja permitida ao autor a produção de todos os meios de prova admissíveis em direito.

21. Atribui-se à causa o valor de R$ 10.500.000,00 (dez milhões e quinhentos mil reais)

Taubaté, 06 de fevereiro de 2009.

JOÃO GILBERTO GONÇALVES FILHO
PROCURADOR DA REPÚBLICA

Trote Universitário

Teve início na manhã de hoje, 09, o trote universitário dos calouros da Universidade de Taubaté. As ruas da terra de Lobato estão tomadas por jovens de caras pintadas que pedem dinheiro nos semáforos da cidade.
As fotos abaixo mostram alunos do curso de Arquitetura. A primeira imagem mostra um aluno veterano, com uma garrafa de bebida, obrigando os calouros a beberem. A segunda foto mostra pedaços de cabelos cortados na porta do departamento.
No entanto, segundo um dirigente do Diretório Acadêmico da Arquitetura, haverá o trote solidário após esta fase regada à tintas e bebidas. Por exemplo: calouros terão que reformar uma escola que esteja em más condições. E la nave va...


Posted by Picasa

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Petralhas perdem boquinhas

Petralhas desempregados
 
Prefeito Roberto Peixoto (PMDB) demitiu, hoje, segunda-feira 2, todos os militantes do partido da boquinha, que já foi dos trabalhadores, lotados no departamento de Trânsito, exceto o diretor Valdir Aguiar. Tudo indica que Peixoto pode estar a caminho de novas composições partidárias. À boca pequena, comenta-se que o prefeito estaria negociando com o governador José Serra.