quarta-feira, 9 de abril de 2008

Cassação?


Na próxima sessão legislativa, terça-feira, dia 15, a Câmara Municipal vai discutir a denúncia de infração político-administrativo, assinada por seis vereadores, protocolada no dia 1º de abril contra o prefeito Roberto Peixoto (PMDB). O intuito dos vereadores é constituir uma Comissão Processante para apurar o não comparecimento da primeira-dama e diretora do DAS, Luciana Peixoto, ao Legislativo para dar explicações sobre uma família que vive em condição subumana em Taubaté. Essa Comissão, se formada, pode até pedir a cassação dos direitos políticos do prefeito.
Foto: arquivo Jornal CONTATO
Posted by Picasa

10 comentários:

Fenrisar disse...

See Please Here

Anônimo disse...

Esse papo de cassação é só prá dar esperança p/ o povo,no fim das contas acaba tudo dando em nada.Quem dera esses inuteis parassem de falar e levassem essa cassacão as vias de fato

Anônimo disse...

Xó Peixoto!

Felipe Malta disse...

O que vale é a desmoralização. É a comprovação que os ditos agentes políticos correspondem ao ideário do capitalismo falido na sua instância política e econômica, dizer social nem é preciso, pois esta nunca nem se quer chegou a ter glórias.

Os vereadores tentam apenas intensionar uma "oposição", aliás, a tentativa é mais de desmoralizar o prefeito já que o mesmo faz com os vereadores, quando a recusa da primeira-dama em ir na Câmara; que por sinal, é jogo de relações pessoais, não políticas, que envolve tudo. O jogo do narcisismo, a qual a "beleza" dos vereadores é ofendida pela arrogância da primeira-dama, desta forma, a "beleza" dos Peixotos é ofendida pela arrogância dos vereadores. Isto ficou claro logo na penúltima sessão, no discurso do direitosa-vereador-autor-da-censura Luizinho. Um dia depois, escrevi: "Ela terá que ir! Nada demais ir... mas a política o "simples" para uns é uma derrota imensa, como que fosse diante de todos humilhada. A pose, a deselegância da prefeita é tamanha, é de uma forma bestial, ela apura em seus lábios uma arrogância, uma dita "superioridade", com tantos "gaviões" querendo despi-la para que se mostre sua ceroula... é... a prefeita pos A CORDA NO PESCOÇO DO "PRIMEIRO-DAMO"!!!!!" (na íntegra http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=43108812&tid=2592321990045033977&start=1 )

Obviamente, um discurso de cassação baseando apenas no orgulho da primeira-dama, diante de tantas evidências ilegais no governo Peixoto, é realmente: uma briga de meros narcisistas!

"espelho, espelho meu, existe alguém mais belo que euuu?" "não, minha prefeita, és a mais bela e a mais poderosa de todas..."

Tony Marmo disse...

SOBRE O CALÇADÃO:
PEIXOTO NÃO ACEITA DISCUSSÃO
EM ARTIGO DIZ QUE DECISÃO NÃO CABE AO POVO


O atual Prefeito, Roberto Peixoto, ex-PDSB e outra vez PMDB, escreveu em artigo publicado no Jornal da Cidade de 09/04/2008, sob o título "A Praça é do povo!", uma defesa da sua intervenção na praça Dom Epaminondas, na qual ataca dois pressupostos básicos da Democracia: que as decisões cabem em último caso ao povo e que todas as medidas administrativas devam ser discutidas. Ele expressamente rejeita ambos.

A primeira afirmativa é clara: a decisão de fazer a obra é dele somente e de ninguém mais. Escreveu ele:

(...)e, acima de tudo, assumir a responsabilidade de tomar uma decisão que só cabe ao chefe do executivo[sic] quando avalia o que é prioridade ou não; afinal, foi para isso que fui eleito!

Essa frase implica afirmar que a decisão não cabe ao Povo, nem muito menos à Câmara de representantes eleitos pelo Povo. A frase significa que a decisão cabe somente a ele, chefe do executivo, e que dispensa até mesmo a co-decisão do legislativo.

Em outra frase no mesmo artigo, o Alcaide diz que não vê vantagem nenhuma em discutir a decisão, ou seja, não quer sequer discutir detalhes da obra:

Discutir detalhes do projeto não traz absolutamente nenhum ganho àquilo que julgamos ser da maior importância(...)

http://www.jornaldacidadepinda.com.br/noticiacompleta.php?codgrupo=1&codigo=15851

Assim, o atual Alcaide Municipal professa em seu discurso uma lógica mais autoritária do que a de qualquer um dos seus antecessores.

Vale lembrar que a decisão de formar o calçadão na área atual foi aprovada pela maioria esmagadora dos munícipes em pesquisa de opinião realizada in loco no ano de 1983. Essa era a principal condição que o governo de então colocara para fechar as ruas.

Anônimo disse...

A verdade e que esses Vereadores ,não tem nem pulso e nem moral para fazer a cassaão do PREFEITO.

Anônimo disse...

A primeira Dama , demoraliza os VEREADORES , IGNORA a Lei e ninguem faz nada esses Vereadores de Taubaté são Brincadeira.

Tony Marmo disse...

Como não saiu direito na mensagem anterior, outra vez coloco o Link para o artigo do Prefeito.

Anônimo disse...

Infelizmente esses inuteis desses vereadores de Tté não são capazes,ñ tem pulso e nem competência para cassar ninguem. O mais doloroso é que a maioria vai se reeleger as custas do povo desinformado dos verdadeiros interesses dos vereadores:correr atraz de causas proprias de preferencia com bons lucros.

Anônimo disse...

CAAARA, ESSE JORNAL É COMPRAADO?
NUNCA, EM NENHUMA EDIÇÃO ELOGIOU A ADMINISTRAÇÃO, E O QUE É MAIS FEIO AINDA, NUNCA FALA BEM DA CIDADE. SERA QUE NÃO TEM ALGO DE ERRADO COM ESSE "JORNAL"?