terça-feira, 25 de março de 2008

Análise da Bolsa de Valores



O dia de hoje foi tomado pelo entusiasmo do investidor com a melhorar no mercado externo. Na Europa o Í­ndice de ações [FTEU3] foi puxado pelos bons resultados de bancos e pela Nokia [+4,72%, 31,68 euros]. Na Bovespa, as ações da Cesp [CESP6] caí­ram mais de -20%, queda motivada pelo cancelamento do leilão.
As ações da Petrobras PN [PETR4] avançaram +5,4%. Com a melhora dos resultados de bancos, o Ibovespa voltou a operar acima dos 61 mil pontos - com máxima nos 62 mil pontos - abrindo espaço para forte recuperação (vale lembrar que o máximo atingido pelo Ibovespa foi de 66.005 pontos, em 28/02/2008).

Bolsas no mundo:
- Londres [FTSE100] +3,53%
- Frankfurt [GDAX] +3,24%
- França [CAC40] +3,23%
- Dow Jones [DJI] +0,03%
- S&P500 [SPX] +0,38%
- Nasdaq [IXIC] +0,73%
- Japão [N225] +2,12% (fechamento às 05:00, de Brasí­lia)
- Shangai Composite [SSEC] +0,09% (fechamento às 05:00, de Brasí­lia)

Petróleo nos EUA US$ 101,15.
Dólar fecha em alta de +0,86% a R$ 1,7320.

As ações da Vale [VALE5] fecharam a R$ 47,41, +2,39%.
As ações da Petrobras [PETR4] fecharam a R$ 13,25, +4,92%.

As maiores altas ficaram por conta das ações da Unibanco UNT [UBBR11] +5,64% a R$ 21,71; VCP PN [VCPA4] +5,43% a R$ 51,43; Petrobras ON [PETR3] +5,08% a R$ 88,99; Petrobras PN [PETR4] +4,92% a R$ 73,45.

As maiores baixas ficaram com as ações da Cesp PNB [CESP6] -21,75% a R$ 30,35; Eletrobrás ON N1 [ELET3] -2,03% a R$ 26,50 e Copel PNB [CPLE6] -1,82% a R$ 28,59.

Fonte: Infomoney e Intra Corretora
Posted by Picasa

5 comentários:

Anônimo disse...

O engenheiro Gerson e seu fiel escudeiro e guru financeiro o engenheiro Andre irão adorar a notícia.

Anônimo disse...

Alguém viu o jovem Felipe Peixoto no programa Antônio Leite de hoje? O menino tem a cara do pai e a inteligência da mãe!

Felipe disse...

As tais altas mostram que o mercado é completamente esclerosado e anarquista, sem nenhuma base na realidade, mas vive de uma grande especulação. Os mercados apresentaram as maiores perdas desde a segunda guerra mundial, já tiveram três anúncios de falência de bancos, sendo recorridos pelos países para não falirem, um foi na Inglaterra e os outros dois nos Estados Unidos. O City Bank, o mais importante, que está em vários países, teve prejuízos recordes. No Brasil, o mercado foi obrigado de decretar hj a união das duas Bolsas de Valores (BOVESPA e BM&F), a qual irá tornar a maior da América Latina, tudo para tentar animar a economia. Os países imperialistas estão fechando suas portas aos países pobres, tal como o Brasil, e expulsando para aliviar a pressão na economia e no desemprego. Os Estados Unidos, Inglaterra, União Européia, e Japão gastaram bilhões para alimentar a fome dos capitalistas para não quebrarem... a economia do Laisse-faire, o liberalismo burguês suplica a intervenção pros capitalistas não perderem seu capital. O ouro chegou às US$1000 a onça e o petróleo mais de US$110 o barril... a inflação cada dia mais é posta em discussão no mundo inteiro, incluindo na China. Com todo isto, hoje o dito mercado disse:

CONFIEM NOS CAPITALISTAS... NÓS QUEREMOS SEU DIM DIM!

Felipe Malta

Felipe disse...

Agora o que diz um órgão burguês como o Corecon (Conselho Regional de Economia de São Paulo, abençoado sempre pelo tiranossauro economicista Delfin Neto)

F.Malta
***************************

Um mundo em crise

O Brasil controlou a inflação após duas décadas de estagnação econômica.
Foram anos difíceis para todos os brasileiros, com algumas exceções.
Agora, o ambiente é favorável para o tão sonhado crescimento econômico,
geração de emprego e melhoria do bem estar. Será?
O Presidente do Banco Central brasileiro, Henrique Meirelles, em artigo publicado
no Estado de São Paulo no dia 11 de março, disse acreditar que o que
determinaria os impactos de uma possível recessão dos Estados Unidos aos
países emergentes é a economia da China.
Se a China, sob forte pressão recessiva dos Estados Unidos sobreviver, caso
estoure a crise imobiliária, os países emergentes poderão sair mais ilesos. Pelo
contrário, até mesmo o Brasil com suas reservas, não terá conforto, pois, a
economia estadunidense é o maior centro, o foco de investimentos mundiais. É
para onde a maioria dos investimentos financeiros pecuniários irá se a crise se
agravar. É onde o risco país é menor.
Muitos são os rumores de que a China está em fase de desaquecimento da sua
economia. Tanto pela necessidade interna de conter a inflação pelos possíveis
aumentos salariais, o que poderia causar fortes impactos nos preços dos produtos
chineses aos países compradores como os Estados Unidos, tanto, se a China não
está sendo afetada direta ou indiretamente pela queda da demanda dos EUA por
conta da recessão imobiliária. Isso está trazendo muita preocupação aos
mercados, principalmente aos mercados exportadores como é o caso do Brasil,
que perderia muito com uma possível diminuição da demanda chinesa.
Justamente agora, a demanda agregada Brasileira está em expansão no
compasso do emprego formal crescente da economia devido ao aquecimento dos
investimentos produtivos. Isso traz à tona outra discussão: qual deve ser a taxa
Selic aceitável para continuar estabilizando a economia; será que são saudáveis
taxas inflacionárias mais altas?
Muito se discute na imprensa sobre hipóteses econômicas para a crise dos EUA,
mas, nada é definido, até porque a surpreendente nacionalização de um banco na
Inglaterra ocorreu; bancos centrais injetam bilhões nas economias afetadas, com
perdas gigantescas, por conta da histórica ganância pelos lucros dos títulos
imobiliários.
As teorias econômicas estão se fundindo e se confundindo. Liberais se tornam
conservadores ou progressistas e vice-versa. Ninguém sabe o que poderá
acontecer. A indefinição do mercado e o “efeito manada” dos investidores
assustam os países que, como o Brasil, segue a cartilha de metas de inflação.
Soluções justas, honestas, tendem ao aumento dos investimentos produtivos, que
geram empregos, aumentam a oferta de bens e serviços, aumentam a
arrecadação de tributos dos lucros reais e da poupança, como dos investimentos.
Otimizando, poderá haver redução da carga tributária. Neste aspecto, tem-se um
excelente ambiente para reflexões de valores teóricos e empíricos.

na íntegra: http://www.coreconsp.org.br/indicadores/internet_ind/boletim/20032008.pdf

Anônimo disse...

Temos que ter cuidado , tem gente na PREFEITURA que vai por os acessores correndo atrás dessa BOLSA DE VALORES achando que está cheia de DINHEIRO.